Planejamento tributário: a hora de fazer é agora!

Carlos Muza Hpjsku2uysu Unsplash - Contabilidade em Grande Vitória e ES | Quantum Soluções Empresariais

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

A Quantum Soluções Empresariais pode fazer seu planejamento tributário de forma antecipada e ajudá-lo a economizar com impostos e tributos

Já ouviu aquela frase: “Daqui a um ano, você gostaria de ter começado agora?”. Isso vale para o planejamento tributário, estamos no 2º semestre e já é possível iniciar esse estudo com vistas a reduzir despesas do seu negócio com os impostos.

O planejamento tributário é importante para garantir a saúde financeira da empresa e busca encontrar soluções legais para economizar nos custos em três frentes:

  • Evitar situações que gerem maior carga de impostos. Um bom exemplo é a substituição do pró-labore dos sócios por distribuição de lucros, reduzindo a carga de INSS (é de 20% sobre o pró-labore) e do imposto de renda (27,5% sobre o valor retirado). Hoje, a distribuição de lucros não paga IR na fonte nem na declaração de pessoa física.
  • Reduzir a base de cálculo ou alíquota do tributo;
  • Adiar o pagamento do tributo sem a incidência de multa, transferindo a receita do último dia do mês para o  dia primeiro do mês seguinte, ganhando um mês nessa manobra, por exemplo.

Para iniciar os trabalhos, você terá que montar uma equipe altamente qualificada composto por contador e especialistas em direito tributário.

O segundo passo é estabelecer um cronograma de trabalho – deixar tudo para Janeiro, quando ocorre a janela que permite a mudança de regime tributário, pode levar a sérios equívocos devido ao volume de dados que deverá ser analisado.

Terceiro, é hora de recolher o máximo de informações, como:

  • A situação fiscal de todos os sócios, pois ela pode impactar o plano tributário do seu negócio;
  • A situação fiscal e legal da sua empresa;
  • A receita bruta ou expectativa de vendas para ao menos três possíveis cenários: negativo, neutro e otimista;
  • A previsão despesas operacionais no curto, médio e longo prazos;
  • A expectativa de margem de lucro para o próximo ano fiscal;
  • O montante destinado à folha de pagamento dos colaboradores para curto, médio e longo prazos.

Para definir os cenários possíveis, tenha em mente questões como: quais estratégias foram previstas para o próximo ano? Quais são as ações que darão suporte às estratégias? Quais serão os investimentos necessários? Quais clientes exigirão créditos de PIS/ Cofins? Quais operações geram esses créditos?

O quarto passo é reunir a cúpula da empresa para acompanhar os trabalhos, uma vez que eles precisam estar cientes de todo o processo e validar as informações  quanto às operações.

Antes de mudar de regime tributário, faça simulações de cenários

Agora, no nosso planejamento tributário é hora de fazer simulações sobre a situação fiscal da empresa segundo cada um dos três regimes possíveis:

  • Simples nacional: é indicado para empresas com receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões por ser a forma mais simplificada. Se as vendas forem de até R$ 600 mil, vale optar pelo Super Simples, que tem uma percentagem de tributos ainda mais reduzida
  • Lucro presumido: trata-se de uma forma de tributação para empresas que tenham receita anual de até R$ 48 milhões e não sejam obrigadas a optar pelo lucro real. Nessa modalidade, o imposto de renda e CSLL (contribuição social sobre lucro líquido) é calculado sobre um percentual definido pela Receita, sendo mais interessante para aquelas com lucro igual ou superior a 32%.
  • Lucro real: é uma modalidade que pode ser escolhida por qualquer empresa. Ele é obrigatório apenas para empresas do setor financeiro ou que vendam acima de R$ 48 milhões anuais. Como o nome sugere, os cálculos são realizados a partir do lucro apurado, ou seja, em caso de eventual prejuízo, é possível diminuir a carga tributária. Vale destacar que há alíquotas específicas com direito a deduções, conforme a atividade da empresa.

É importante reforçar que a mudança de regime tributário deve ser realizada após uma análise personalizada sobre as informações de cada empresa, uma vez que todos os regimes têm seus pontos altos e baixos.

Outro ponto que torna o planejamento tributário bastante importante é que a empresa não poderá mudar de regime longo de todo o ano fiscal, ou seja, evitar erros é crucial para alcançar a performance financeira que você busca.

 

Se você quer saber mais sobre o assunto ou deseja iniciar seu planejamento tributário, clique aqui para agendar uma conversa com um dos nossos especialistas.

Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! Clique no botão abaixo e fale conosco!

Precisa de ajuda?