Reforma tributária pode ser aprovada em 2022

Congresso Federal - Contabilidade em Grande Vitória e ES | Quantum Soluções Empresariais

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD-MG) anunciou que pretende colocar em pauta após a volta do recesso parlamentar a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 110/19 que trata da reforma tributária. A expectativa é que ela ajude a simplificar o sistema tributário e alavanque o crescimento do País.

Antes de tudo, para que a reforma tributária saia do papel ela precisa ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da casa, cujo presidente, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), já manifestou o comprometimento com a causa.

“Eu assumo o compromisso público de que, no retorno dos trabalhos da comissão, faremos a leitura e a votação da matéria. Temos o compromisso do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, de que ele levará a proposta para o Plenário a partir da votação na CCJ”, declarou Davi em dezembro último.

IVA (Imposto sobre valor agregado)

A principal novidade da PEC 110/19 é a previsão de um sistema que prevê a “unificação da base tributária de consumo”, com a criação de um imposto sobre valor agregado dual: um para o governo federal e outro para estados e municípios.

De acordo com a PEC, o IVA federal seria chamado de Contribuição sobre Bens e Serviços e seria o resultado da união de IPI, PIS e Cofins, tendo uma alíquota única de 12% para diversos setores – a exceção são os serviços financeiros, cuja alíquota seria de 5,8%.

Enquanto o IVA para estados e munícipios teria o nome de Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), tendo origem na soma de ICMS e ISS. Desta forma, estados e munícipios têm autonomia para estabelecer suas próprias alíquotas.

Toda essa engenharia contábil foi criada com o propósito de evitar o “efeito cascata”, ou seja, quando há cobrança acumulada de impostos em diferentes fases da produção, comércio e prestação de serviços.

Outro efeito esperado da reforma tributária é combater a chamada “guerra fiscal” entre estados e municípios, que faz com que empresas sejam abertas ou migrem para estados com mais benefícios em detrimento da logística, por exemplo.

Como resultado, há inúmeros exemplos a empresa se instala onde haverá aumento de gastos com transporte e distribuição, que são repassados para o consumidor final.

De acordo com um estudo do economista Bráulio Borges, do Centro de Cidadania Fiscal, a perspectiva é que o PIB (Produto Interno Bruto) cresça 20% em 15 anos. Dessa forma, os primeiros efeitos da reforma seriam perceptíveis em um período de quatro a cinco anos após sua implementação.

Imposto Seletivo também está na pauta da reforma tributária

Além do nome curioso, o chamado “Imposto Seletivo” chegaria numa segunda fase da reforma para substituir o IPI sobre cigarros, outros produtos do fumo e bebidas alcoólicas.

Ainda estão em discussão, pelo texto da PEC:

• ampliação do rol de bens e serviços com regime especial de tributação;
• vinculação da concessão de crédito tributário ao efetivo pagamento do tributo;
• definição de regras para a administração tributária de estados e munícipios;
• isenções para o IPVA;
• criação de uma nova base de cálculo para o IPTU;
• e a possibilidade de devolução de contribuições patronais para a Previdência em setores intensivos de mão de obra.

Por fim, ainda há perspectiva de que a PEC traga uma série de leis específicas para complementar e regulamentar a reforma tributária; por consequência, podem acabar os regimes diferenciados de tributação, que são concedidos a setores econômicos específicos.

 

Você quer economizar no pagamento de impostos? Fale agora com um dos nossos especialistas sobre as melhores soluções para a sua empresa.

 

*Com informações da Agência Senado

Crédito da imagem: Roque de Sá/Agência Senado

 

Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! Clique no botão abaixo e fale conosco!

Precisa de ajuda?